Formatura de 172 delegados garante reforço da Polícia Federal

8 de novembro de 2019 18:06

Depois de cinco meses de treinamento intenso e exaustivo, 557 alunos – entre eles, 172 delegados – encerraram oficialmente os cursos de formação na Academia Nacional de Polícia (ANP), em Brasília, durante solenidade nesta sexta-feira (8). A formatura encerrou a luta da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) em busca da recomposição dos quadros da PF.

Presente ao evento, o presidente Jair Bolsonaro anunciou aos novos policiais federais que eles serão nomeados na próxima segunda-feira (11). “Um bom inquérito, uma boa investigação nos traz esperança e crença de que o Brasil pode mudar. E vocês têm essa possibilidade, ao exercer um bom trabalho, de mudar o destino do Brasil”, afirmou.

Presidente da República Jair Bolsonaro participou da solenidade

Segundo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a Polícia Federal não teve problema de orçamento em 2019, apesar do contingenciamento feito em várias áreas do governo. Daí a possibilidade de convocação dos aprovados no atual concurso público, que ofertou 1.047 vagas distribuídas nos cinco cargos da carreira. “O Poder Executivo está fazendo a sua parte. Investir na Polícia Federal é responder aos anseios da sociedade por um País mais justo e mais seguro”.

O diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, anunciou que a segunda turma, com 560 alunos, deverá começar em março de 2020 – outra reivindicação da ADPF pela chamada dos excedentes. “Essa decisão do presidente da República [de autorizar a convocação] tem reflexo direto no processo de fortalecimento da Polícia Federal”, disse Valeixo. “A Polícia Federal não tem lado e nem partido, apenas a Constituição Federal e a bandeira do Brasil”, falou aos formandos.

O presidente da ADPF, Edvandir Paiva, lembrou que, mesmo com a recomposição desses 1.047 cargos, outros 3,5 mil ainda precisarão ser preenchidos. “A Diretoria de Gestão de Pessoal da Polícia Federal está de parabéns pela condução do provimento de vagas”, falou Paiva. Ele se disse mais confiante, a partir de agora, na rápida recomposição dos quadros da PFD. “Esperamos que haja um planejamento de concurso depois desse, para resolver o déficit que ainda teremos”, afirmou.

Edvandir Paiva (Presidente da ADPF), Delano Cerqueira Bunn (diretor de Gestão de Pessoal da PF) e Luciano Leiro (vice-presidente da ADPF)

O curso

Foram mais de 900 horas de aulas teóricas e práticas, treinamentos físicos extenuantes, convivência intensa e disciplina rígida. Os cursos de formação tiveram duração de 20 a 22 semanas, de acordo com o cargo, em regime de internato, e aulas de segunda a sábado. Foram recrutados 787 professores das 27 unidades da federação, sendo 422 para as disciplinas teóricas e 365 para as disciplinas operacionais.

“O curso acabou, as simulações acabaram. Agora é hora de aplicar o que aqui aprenderam, na vida real. E eu posso garantir que os senhores estão prontos e plenamente aptos aos desafios que enfrentarão nas suas carreiras. Ao chegarem às suas lotações, criem raízes e edifiquem suas carreiras”, disse a diretora da Academia Nacional de Polícia, delegada Vanessa Gonçalves Leite.

Veja mais fotos