Delegadas de polícia lançam Movimento de Mulheres na Segurança Pública

28 de novembro de 2019 11:00

A abertura do último dia da 2ª edição Fórum Nacional de Inteligência Aplicada para o Combate à Criminalidade (IACC), em São Paulo, foi marcada com o lançamento do Movimento Mulheres na Segurança Pública, nesta quarta-feira (27). A iniciativa é de delegadas de polícias federal e civil do estado para estimular a participação da mulher, no segmento.

Uma das anfitriãs do Fórum IACC e entusiasta da iniciativa, a diretora regional da ADPF-SP e presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF-SP), Tania Prado, explicou que a ideia do movimento surgiu durante a concepção da primeira edição do IACC, em 2018. Ela observou os números da participação das mulheres na segurança pública e viu que ainda são baixos.

Raquel Kobashi, presidente do SINDPESP

Além disso, a delegada federal percebeu que as que atuam em diversas esferas do segmento ainda precisam quebrar muitas barreiras, como a falta de reconhecimento dos direitos das policiais grávidas, lactantes e mães de crianças, no tocante ao acionamento para o plantão, sobreaviso e missões fora de sua base.

“Aqui em São Paulo conseguimos reunir várias lideranças femininas, mas em outros lugares e ambientes de trabalho não tem tantas mulheres”, disse Tania, ao citar que somente 13% dos delegados aprovados no último concurso da Polícia Federal, eram mulheres. “Chegamos à conclusão que precisávamos criar uma forma de estimular a participação de mulheres nos concursos das polícias, na discussão de segurança pública e também na sociedade civil”, complementou.

Outra liderança que encabeça o movimento, a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (SINDPESP), Raquel Kobashi Gallinati, disse que esta mobilização não será só para as delegadas de polícia, mas para todas aquelas que, de certa forma, admiram e querem contribuir para a segurança pública. “A profissão não escolhe gênero e, sim, a aptidão. E, se temos aptidão, temos que quebrar essas barreiras e estigmas e adentrar essas instituições”, reiterou.

Jacqueline Valadares, titular da 2° Delegacia de Defesa da Mulher e diretora de comunicação social da ADPESP

Já a titular da 2° Delegacia de Defesa da Mulher e diretora de comunicação social da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (ADPESP), Jacqueline Valadares, mencionou a importância da iniciativa para ajudar mulheres que diariamente são vítimas de violência, seja ela física ou psicológica. “A ideia não é só incentivar a chegada de novas mulheres na segurança pública, mas também proporcionar um melhor atendimento às vítimas de violência em nossa sociedade”, pontuou.

E a delegada Marina Acursio, da nova diretoria do SINDPESP, que também lidera o movimento, falou que a ideia é conseguir acolher todas as mulheres que têm a intenção de entrar na carreira policial e, para as que já estão, que tenham consciência de seus direitos. “Quando começa a aumentar a quantidade de mulheres dentro das carreiras policiais, cria essa empatia com as vítimas”, avaliou.

Marina Acursio, da nova diretoria do SINDPESP

No site do Fórum IACC será disponibilizado um formulário para as mulheres que queiram participar dos eventos do movimento.

O Fórum

O Fórum IACC é uma iniciativa da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (ADPESP), Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal/Regional de São Paulo (ADPF-SP), Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF-SP) e do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (SINDPESP). O evento ocorreu nos dias 26 e 27 de novembro, na capital paulista, reunindo especialistas para apresentar propostas e ações que promovam boas práticas de investigação para combater a criminalidade.